Você está aqui: Página Inicial > Adm. Direta > PGE > Corregedor-Geral da PGE prestigia homenagem ao centenário do desembargador Arquimedes Souto Maior Filho no TJPB

Notícias

Corregedor-Geral da PGE prestigia homenagem ao centenário do desembargador Arquimedes Souto Maior Filho no TJPB

Evento é uma iniciativa da Comissão de Memória e Cultura do Poder Judiciário do Estado, presidida pelo desembargador Marcos Cavalcanti de Albuquerque

O Corregedor-geral da Procuradoria Geral do Estado, Lúcio Landim Batista da Costa, prestigiou a homenagem promovida pelo Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) em homenagem ao centenário de nascimento do desembargador Arquimedes Souto Maior Filho (1917-2017).

A solenidade realizada nesta segunda-feira (2), foi  uma iniciativa da Comissão de Memória e Cultura do Poder Judiciário do Estado, que tem à frente o desembargador Marcos Cavalcanti de Albuquerque.
    Durante as homenagens, uma plaquete que conta a trajetória do desembargador foi entregue aos presentes. Intitulada “Um homem de visão futurista”, a publicação tem autoria do desembargador Marcos Cavalcanti, que, ainda criança, conheceu o homenageado. “Antes de ser juiz de carreira, ele foi diretor da reserva indígena de Baía da Traição e morou em Mamanguape por 10 anos. Era vizinho de meus pais. Eu o conheci desde a minha mais tenra idade”, disse.
    O desembargador informou que o homenageado, enquanto juiz, atuou na comarca de Sumé, Princesa Isabel, Monteiro, Campina Grande, Santa Rita e João Pessoa. Como desembargador, foi presidente do TJPB e TRE.
    “Acima de tudo, era um humanista e se preocupava com o povo. As pessoas o procuravam diretamente. Ele, então, chamava um oficial de Justiça e mandava buscar imediatamente a parte agressora e, ali, fazia uma justiça de paz imediata. O que tentamos fazer hoje, ele já fazia há 30, 40 anos. É este o desembargador que homenageamos. Uma honra para o Tribunal de Justiça da Paraíba”, afirmou.
    Ao abrir o evento, o presidente do TJPB, desembargador Joás de Brito Pereira Filho, também destacou a simplicidade de Arquimedes Souto Maior Filho. “Uma noite de lembranças. Ele foi um grande amigo de meu pai. Revolucionou o Judiciário paraibano pelas suas práticas humanistas”, declarou o presidente.
    A cantora paraibana Renata Souto Maior Arruda deu continuidade ao evento, com o hino nacional cantado à capela. Já o procurador de Justiça Marcus Vilar Souto Maior, sobrinho do homenageado, falou do tio, em nome da família. “Era conhecido como um homem do povo. Ele tinha o cheiro do povo. Seu gabinete parecia com o da Assistência Social. E ele não foi político, nem militar, não tinha cargos de confiança de Governo, mas tinha acesso a todas as áreas e assistiu a muitas pessoas. Deixou bem marcada a sua presença na Terra. Deixou grandes amigos”, frisou.
    Os representantes do TJPB também entregaram à família uma placa, em reconhecimento ao contributo prestado pelo jurista Arquimedes Filho à Justiça paraibana. E, um buquê de rosas à sua filha, Carmen Lúcia Souto Maior.

Centenários

 O TJPB celebrou, este ano, o centenário de nascimento do desembargador Nelson Deodato Fernandes de Negreiros. Após a homenagem ao desembargador Arquimedes Filho, será a vez de Walter Sarmento de Sá. Ainda conforme a programação cultural, haverá a comemoração dos 126 anos de instalação do Tribunal de Justiça da Paraíba e dos 110 anos da Revista do Foro.

Arquimedes Souto Maior Filho – Nasceu em Campina Grande, em 1º de setembro de 1917. Era filho de Archimedes Souto Maior e de Áurea Baltar Souto Maior. Arquimedes Filho formou-se em Direito, no ano de 1945, pela Faculdade do Recife. Exerceu, durante dez anos, o cargo de Inspetor do Serviço de Proteção aos Índios, ingressando na magistratura como juiz de Direito de Sumé, nomeado a 27 de junho de 1951. Foi o primeiro titular daquela comarca, que instalou, com a sua posse, em 20 de julho do mesmo ano.
No dia 27 de outubro de 1972, Arquimedes Filho foi nomeado para o cargo de desembargador do Tribunal de Justiça e, exerceu a Presidência do TJPB no período de 1978 a 1979. Foi aposentado em 11 de setembro de 1987.

Integrou o Tribunal Regional Eleitoral, exercendo as funções de juiz-corregedor e presidente daquele órgão. Arquimedes foi casado com a Senhora Maria Marta Guedes Pereira Souto Maior, filha de Walfredo Guedes Pereira Sobrinho e de Alzira Espínola Guedes Pereira. Faleceu em João Pessoa, em 3 de fevereiro de 1994.

 

Com Informações da Gerência de Comunicação do TJPB

registrado em: ,
Voltar para o topo
Plataforma Padrão CODATA de Portais
Desenvolvido com o CMS de código aberto Plone